MANUTENÇÃO DE IMPRESSORAS

Fonte: http://www.infowester.com/impressoras.php

 

Introdução

O mercado conta hoje com uma grande variedade de tecnologias de impressão, tudo para que seja possível passar para os mais diversos tipos de papel trabalhos realizados em computadores ou máquinas especializadas. No que se refere ao segmento de PCs, as impressoras mais comuns são aquelas que utilizam as tecnologias laser, jato de tinta e matricial. Neste artigo, você conhecerá alguns detalhes do funcionamento desses padrões e terá orientações sobre que tipo comprar. Ao final do texto, você verá um resumo sobre outras tecnologias de impressão disponíveis.


Alguns termos

Antes de ler sobre as impressoras em si, é importante saber o significado de alguns termos comumente encontrados na descrição das impressoras. Essas informações são úteis na hora de adquirir um equipamento desse tipo:

- dpi: sigla para dots per inch (pontos por polegada), medida que indica a resolução com a qual o dispositivo pode trabalhar. Se uma impressora é capaz de trabalhar com 4800 x 1200 dpi, significa que ela pode gerar 4800 pontos na horizontal e 1200 pontos na vertical em uma polegada (uma polegada equivale a 2,54 centímetros);

- ppm: sigla para pages per minute (páginas por minuto), medida que indica a velocidade da impressora, isto é, quantas páginas ela é capaz de imprimir por minuto. Vale frisar, no entanto, que essa medida não é precisa, já que os fabricantes usam critérios diferentes para definí-la. Por exemplo, há aqueles que informam que uma impressora trabalha à X ppm, mas não deixa claro que esse valor só é atingido no modo de impressão econômica;

Picolitro: essa é uma medida que equivale a um trilionésimo de um litro. Na verdade, dificilmente é mencionada quando o assunto é impressora, mas é utilizada para medir o tamanho das gotas de tinta.


Impressoras matriciais

Um dos primeiros tipos de impressora que o mercado conheceu foi a impressora matricial. Embora esteja cada vez mais em desuso devido ao surgimento de tecnologias de impressão mais sofisticadas, ainda é possível encontrar impressoras matriciais em uso em vários estabelecimentos, já que elas são bastante duráveis e têm baixo custo em relação aos seus suprimentos.

As impressoras matriciais (classificadas em uma categoria chamada impressoras de impacto) são baseadas, essencialmente, em dois tipos de tecnologia:

- Impressora margarida: este tipo de impressora tem funcionamento semelhante às clássicas máquinas de escrever. O dispositivo que equivale à cabeça de impressão contém diversos caracteres em relevo. Esse componente se movimenta de acordo com o caractere a ser impresso. Supondo, por exemplo, que é necessário imprimir a letra A, o referido mecanismo posicionará a parte que contém essa letra sobre o papel. Para a impressão ocorrer, o caractere, depois de posicionado, pressiona uma fita com tinta contra o papel, em um movimento que lembra vagamente uma batida de martelo.

- Impressora de agulha: esse é o tipo mais comum, sendo, portanto, chamado simplesmente de impressora matricial ou, ainda, impressora de matriz de pontos. Nesse padrão, a cabeça de impressão possui pequenas agulhas que, sob orientação eletromagnética, vão formando a impressão à medida em que empurram a fita de tinta contra o papel. Ou seja, nessa tecnologia, ao invés dos caracteres serem formados de uma única vez por impacto, são formados por pequenos pontos. A vantagem desse método é que também é possível imprimir imagens e gráficos, embora com certa limitação.


Introdução

O mercado conta hoje com uma grande variedade de tecnologias de impressão, tudo para que seja possível passar para os mais diversos tipos de papel trabalhos realizados em computadores ou máquinas especializadas. No que se refere ao segmento de PCs, as impressoras mais comuns são aquelas que utilizam as tecnologias laser, jato de tinta e matricial. Neste artigo, você conhecerá alguns detalhes do funcionamento desses padrões e terá orientações sobre que tipo comprar. Ao final do texto, você verá um resumo sobre outras tecnologias de impressão disponíveis.


Alguns termos

Antes de ler sobre as impressoras em si, é importante saber o significado de alguns termos comumente encontrados na descrição das impressoras. Essas informações são úteis na hora de adquirir um equipamento desse tipo:

- dpi: sigla para dots per inch (pontos por polegada), medida que indica a resolução com a qual o dispositivo pode trabalhar. Se uma impressora é capaz de trabalhar com 4800 x 1200 dpi, significa que ela pode gerar 4800 pontos na horizontal e 1200 pontos na vertical em uma polegada (uma polegada equivale a 2,54 centímetros);

- ppm: sigla para pages per minute (páginas por minuto), medida que indica a velocidade da impressora, isto é, quantas páginas ela é capaz de imprimir por minuto. Vale frisar, no entanto, que essa medida não é precisa, já que os fabricantes usam critérios diferentes para definí-la. Por exemplo, há aqueles que informam que uma impressora trabalha à X ppm, mas não deixa claro que esse valor só é atingido no modo de impressão econômica;

Picolitro: essa é uma medida que equivale a um trilionésimo de um litro. Na verdade, dificilmente é mencionada quando o assunto é impressora, mas é utilizada para medir o tamanho das gotas de tinta.


Impressoras matriciais

Um dos primeiros tipos de impressora que o mercado conheceu foi a impressora matricial. Embora esteja cada vez mais em desuso devido ao surgimento de tecnologias de impressão mais sofisticadas, ainda é possível encontrar impressoras matriciais em uso em vários estabelecimentos, já que elas são bastante duráveis e têm baixo custo em relação aos seus suprimentos.

As impressoras matriciais (classificadas em uma categoria chamada impressoras de impacto) são baseadas, essencialmente, em dois tipos de tecnologia:

- Impressora margarida: este tipo de impressora tem funcionamento semelhante às clássicas máquinas de escrever. O dispositivo que equivale à cabeça de impressão contém diversos caracteres em relevo. Esse componente se movimenta de acordo com o caractere a ser impresso. Supondo, por exemplo, que é necessário imprimir a letra A, o referido mecanismo posicionará a parte que contém essa letra sobre o papel. Para a impressão ocorrer, o caractere, depois de posicionado, pressiona uma fita com tinta contra o papel, em um movimento que lembra vagamente uma batida de martelo.

- Impressora de agulha: esse é o tipo mais comum, sendo, portanto, chamado simplesmente de impressora matricial ou, ainda, impressora de matriz de pontos. Nesse padrão, a cabeça de impressão possui pequenas agulhas que, sob orientação eletromagnética, vão formando a impressão à medida em que empurram a fita de tinta contra o papel. Ou seja, nessa tecnologia, ao invés dos caracteres serem formados de uma única vez por impacto, são formados por pequenos pontos. A vantagem desse método é que também é possível imprimir imagens e gráficos, embora com certa limitação.


Observe que os caracteres são formados por pontos

Por utilizar um esquema de impacto sobre uma fita com tinta (que são baratas e, geralmente, bastante duráveis), as impressoras matriciais não são boas para trabalhar com várias cores, já que, para cada cor, é necessário ter uma fita ou, ainda, ter uma fita que se divide em várias cores. Mesmo assim, a fidelidade das cores é bastante limitada, razão pela qual se convencionou a utilizar apenas a cor preta.


Ilustração de impressão matricial

Todavia, as impressoras matriciais se mostram úteis para a impressão de documentos baseados apenas em texto ou que necessitam de cópias. Isso porque o impacto gerado pela cabeça de impressão é suficiente para que seja possível a aplicação de papel carbono, recurso útil, por exemplo, na impressão de notas fiscais.


Impressora matricial Epson FX-2190

Por outro lado, as impressoras matriciais são barulhentas e, quase sempre, lentas no que refere ao tempo de impressão. Isso faz com que seu uso seja inviável em ambientes que exigem silêncio - bibliotecas, por exemplo. Além disso, a qualidade das impressões é limitada, já que elas não conseguem trabalhar com resoluções altas.


Impressoras a jato de tinta

As impressoras a jato de tinta são as mais utilizadas no ambiente doméstico e também são muito comuns nos escritórios, já que são capazes de oferecer impressões de excelente qualidade e fidelidade de cores aliadas a um custo (relativamente) baixo.

Impressora a jato de tinta Lexmark Z645

Ao contrário das matriciais, as impressoras a jato de tinta não são de impacto. A impressão é feita através da emissão de centenas de gotículas de tintas (geralmente no tamanho de 3 picolitros) emitidas através de minúsculas aberturas existentes na cabeça de impressão. Essa cabeça é posicionada sobre um eixo que a permite se movimentar da esquerda para a direita e vice-versa muito rapidamente.

Para o processo de impressão em si, as impressoras a jato de tinta contam, basicamente, com duas tecnologias:

- Térmica (Bubble Jet): nesta tecnologia, uma pequena quantidade de tinta é submetida a uma temperatura muito alta para formar pequenas bolhas. O aquecimento faz com que estas sofram uma pressão e sejam expelidas pelos orifícios da cabeça de impressão. É dessa forma que a tinta chega ao papel. Quando esse processo é finalizado, o espaço deixado pela bolha é então preenchido novamente por uma pequena quantidade de tinta e, então, todo o processo se repete. Essa tecnologia foi patenteada pela Canon é usada por empresas como HP e Lexmark.

Uma curiosidade em relação à tecnologia Bubble Jet: dizem que seu surgimento aconteceu por acidente, quando um pesquisador estudava uma fórmula de tinta e, sem querer, deixou um ferro de solda aquecido tocar na agulha de uma seringa preenchida com tinta. O aquecimento provocado à agulha fez com que gotas da tinta fossem expelidas quase que imediatamente. O ocorrido foi então estudado a ponto de se transformar em uma tecnologia de impressão.

- Piezo-elétrica: essa é uma tecnologia criada e utilizada pela Epson. Nela, a cabeça de impressão utiliza um cristal piezo-elétrico na saída de um minúsculo compartimento de tinta. Os cristais piezo-elétricos geram uma pequena quantidade de energia quando recebem uma força física, mas o contrário também ocorre: se receber uma pequena quantidade de energia elétrica, o cristal se movimenta. Na cabeça de impressão, essa movimentação é utilizada e, quando o cristal volta ao seu lugar, uma pequena quantidade de tinta sai pela abertura.

A tecnologia Piezo-elétrica oferece várias vantagens, como permitir a utilização de pigmentos que não podem sofrer calor por mudar suas propriedades quando aquecidas, por exemplo. Por outro lado, pode representar elevado custo de reparo quando a cabeça de impressão se danifica, já que esta geralmente se localiza na impressora e não nos cartuchos de tinta. Dizer, no entanto, qual dessas duas tecnologias de impressão a jato de tinta é melhor, é uma tarefa difícil, já que ambas são constantemente aperfeiçoadas para prover impressões de qualidades aliadas a um custo o mais baixo possível.


Esquema de cores das impressoras a jato de tinta

Muito estudo foi (e é) dedicado na formação de cores nas impressões, especialmente nas tecnologias a jato de tinta. O esquema de cores mais usado nas impressoras é o CMYK, sigla para as cores ciano (Cyan), magenta (Magenta), amarelo (Yellow) e preto (blacK). Esse sistema é aplicado às impressoras porque a combinação de suas cores é capaz de gerar praticamente qualquer outra cor perceptível aos olhos humanos.


Esquema de cores CMYK

É por essa razão que nas impressoras a janto de tinta, por exemplo, é comum encontrar cartuchos nas quatro cores mencionadas. Também é comum encontrar impressoras que trabalham apenas com dois cartuchos, sendo um para a cor preta e outro para as cores ciano, magenta e amarelo. Na verdade, a combinação dessas três cores é capaz de gerar a cor preta, mas os fabricantes preferem utilizar um cartucho exclusivo dessa cor para uma qualidade melhor de impressão, sem contar que seria um grande desperdício utilizar as tintas coloridas para gerar impressões apenas em preto.


Cabeça de impressão - o cartucho da esquerda é colorido e o da direita é preto

Embora sejam raras, também é possível encontrar impressoras que trabalham com seis cartuchos. Neste caso, as cores adicionais geralmente são o ciano claro e o magenta claro.